Brincadeiras

Engraçado que, não sei porque, mas minha relação com o Ben envolve muita brincadeira. Acho que é o jeito dele, só pode! Ele é uma pessoa feliz, de sorriso fácil e natural. Dono de uma gargalhada gostosa de ouvir, que não é nada difícil de aparecer.

Parei para pensar e rapidamente consegui eleger pouco mais de 10 ocasiões que costumam render boas brincadeiras:

  1. Hora de tomar banho: ele leva os brinquedos pra água e tome gargalhada;
  2. Ao acordar: não é sempre, mas tem dia que o sorriso aparece antes mesmo dele abrir os olhinhos;
  3. No almoço: o bocão para estacionar a colher cheia de arroz é uma festa;
  4. Entrar na escolinha: se tiver acordado, nem despede de você direito, já corre para brincar com os amiguinhos;
  5. Ir embora da escolinha: faz a farra lá mesmo, na frente do portão. Pula, grita, abraça, dá beijo, joinha, sorrisos;
  6. Ir à feira: além de sempre ganhar uma banana na barraca, tem o parquinho ao lado. Não precisa nem comentar, né?;
  7. Ir ao supermercado: já quer logo ir pra dentro do carrinho, ficar segurando as compras, mexendo nas prateleiras, comendo pão;
  8. Trocar a fralda: deita, recebe cócega, pega no pinto, mostra a barriga, mostra o pinto, só farra;
  9. Comendo a fruta: de longe você ouve o “qué uva!” ou “bananá!”;
  10. Na vistoria do prédio: quis testar as tomadas com uma lâmpada adaptada, a luz acendia e a gargalhada surgia;
  11. Subir e descer a escada de casa: pulando, contando os degraus e rindo, é claro.

Mas aí paro pra pensar: até quando o Benjamin vai querer brincar comigo, jogar bola pro papai, adivinhar os desenhos que faço, reconhecer os bichos adesivados na parede? E de repente bate uma saudade enorme de um tempo que ainda nem passou. Mas que voa… Vamos aproveitar mais Benzinho, espera um pouco para crescer e vamos andar de patinete na pracinha.

blog-fotos

#blogdemaesemmae #papaiblogando

Fim de ano

Entrei no meu momento Gabrielice de final de ano. Sabe quando você faz um balanço do ano que passou e começa a fazer as promessas para o ano que se aproxima?! Então…

Bom, mas o que pensei muito foi sobre o tempo e sobre a necessidade das pessoas em dizer o tempo inteiro como estão corridas. Percebi que também faço parte desse grupo que vive falando “como o tempo passou rápido” ou “estou trabalhando muito, está tudo muito corrido”. Sim, o tempo está passando e nossas vidas também.

Refleti: o que estou fazendo do meu tempo? Fiquei surpresa com as respostas que encontrei. Acho que estou aproveitando bem o meu. Após a chegada do meu Ben é que dei conta de como o tempo é valioso. Só uma criança mesmo para nos mostrar o essencial da vida e nos ensinar como aproveitar cada momento. Criança tem esse poder, né? De dar significado às coisas mais simples. Você vê aquele ser tão cheio de brilho (e curiosidade) nos olhos e sabe que aquela fase da infância vai passar tão rápido que você tem que sugar cada minutinho com ele.

Vem aí o ano novo. Vai começar tudo novamente, mas ao invés de carregar essa sensação, eu me encho de esperança. Faço balanços, promessas, listas de objetivos. Tenho vários quereres para 2013. Um deles é que não atrase a entrega do nosso apartamento, previsto para o 2º trimestre (e acreditem, se atrasar vai implicar um monte de coisas na nossa vida, no quesito moradia). Outro é fazer mais uma viagem com a família ainda nesse formato.

Mas meu maior desejo para 2013 é aproveitar ao máximo o meu tempo com meu Ben. Tipo: dedicação total a ele – que está no auge da sua transição bebezico para moleque. Em janeiro ele vai para a educação infantil – mudança que fará total diferença em seu desenvolvimento. Daqui a pouco vem o penico, o leite no copo, o “mamãe, conta de novo”, as apresentações na escolinha….e eu quero viver plenamente essa fase da maternidade e infância. Quero mais do que nunca viver intensamente a maternidade e aprender, com meu pequeno ser humano de 1 ano e meio, sobre esse lance que é a vida.

Que venha 2013!