Feliz Natal

Que 2013 seja um ano cheio de possibilidades, que possamos aproveitar cada momento de nossas vidas sempre valorizando as pequenas (e boas) coisas que ela tem a nos oferecer, sempre com muita responsabilidade. E que possamos nos reinventar como pessoas, profissionais, pais….

20121224-125711.jpg

Fim de ano

Entrei no meu momento Gabrielice de final de ano. Sabe quando você faz um balanço do ano que passou e começa a fazer as promessas para o ano que se aproxima?! Então…

Bom, mas o que pensei muito foi sobre o tempo e sobre a necessidade das pessoas em dizer o tempo inteiro como estão corridas. Percebi que também faço parte desse grupo que vive falando “como o tempo passou rápido” ou “estou trabalhando muito, está tudo muito corrido”. Sim, o tempo está passando e nossas vidas também.

Refleti: o que estou fazendo do meu tempo? Fiquei surpresa com as respostas que encontrei. Acho que estou aproveitando bem o meu. Após a chegada do meu Ben é que dei conta de como o tempo é valioso. Só uma criança mesmo para nos mostrar o essencial da vida e nos ensinar como aproveitar cada momento. Criança tem esse poder, né? De dar significado às coisas mais simples. Você vê aquele ser tão cheio de brilho (e curiosidade) nos olhos e sabe que aquela fase da infância vai passar tão rápido que você tem que sugar cada minutinho com ele.

Vem aí o ano novo. Vai começar tudo novamente, mas ao invés de carregar essa sensação, eu me encho de esperança. Faço balanços, promessas, listas de objetivos. Tenho vários quereres para 2013. Um deles é que não atrase a entrega do nosso apartamento, previsto para o 2º trimestre (e acreditem, se atrasar vai implicar um monte de coisas na nossa vida, no quesito moradia). Outro é fazer mais uma viagem com a família ainda nesse formato.

Mas meu maior desejo para 2013 é aproveitar ao máximo o meu tempo com meu Ben. Tipo: dedicação total a ele – que está no auge da sua transição bebezico para moleque. Em janeiro ele vai para a educação infantil – mudança que fará total diferença em seu desenvolvimento. Daqui a pouco vem o penico, o leite no copo, o “mamãe, conta de novo”, as apresentações na escolinha….e eu quero viver plenamente essa fase da maternidade e infância. Quero mais do que nunca viver intensamente a maternidade e aprender, com meu pequeno ser humano de 1 ano e meio, sobre esse lance que é a vida.

Que venha 2013!

Então é Natal…

Não sou religiosa fiel, mas amo Natal e todo clima envolvente do final de ano. Sinceramente, acho que não precisamos viver a data em sua totalidade religiosa, mas que todos podem gostar e compartilhar dessa comemoração independente da sua religião. Li um texto interessante dia desses, onde a executiva Elisabeth Cornwell, fala que família e amigos são os que criam a celebração dessa época. Fez todo sentido pra mim – que de um lado tenho um pai ateu e do outro a minha mãe que acredita num Deus.

Gosto de acreditar em algo. Acredito nesse mesmo Deus da minha mãe. Nesse que está nas pequenas coisas da vida, nos pequenos gestos, na trilha das formiguinhas que estão preparando sua casa para o inverno, na lagarta que vira borboleta, nesse Deus que está no horizonte infinito do mar, na água quentinha que molha o meu corpo depois de um longo dia, no sorrido do meu filho, nesse Deus que promove o milagre da vida.

Sim, Natal é uma forma de celebrar as pessoas que amamos. É um momento de reflexão. De brindar a vida. E de agradecer.

Esse foi um ano muito especial pra mim. Benjamin me fez descobrir o meu lugar no mundo. Conheci pessoas com histórias incríveis, mães maravilhosas com quem aprendo muito sobre maternar. Reencontrei antigos amigos.Tive oportunidades bacanas de trabalho. Descobri-me na maternidade e criei esse blog – que me trouxe também outras oportunidades bacanas. Realizei sonhos. E gente, não tem coisa mais delícia que realizar um sonho…

Eu só tenho a agradecer… ao meu filho, ao meu marido, à minha família, à vida, ao universo, a meu Deus…muito obrigada por tudo!

Neste Natal…DIY (Do it Yourself = faça você mesmo)

Amo presentear! Mas chega final de ano se você for presentear todos da sua lista (isso significa: familiares, amigos, colegas de trabalho e professoras dos filhos), esquece! Além do 13º, vai embora o salário do mês, das férias e ainda ficam dívidas para o próximo ano. Tô fora! Esse ano as coisas aqui em casa estão sendo bem diferentes.

Já faz algum tempo adotei a febre do faça você mesmo.  É Páscoa, dias das avós, dias das mães, nasceu o filho de amiga, lá vou eu preparar uma lembrancinha. E não está sendo diferente nesse fim de ano.

De certa forma isso freia o consumo nessas datas comemorativas. Um presentinho aqui outro acolá e quando você vê já gastou todo o 13º. Desde que Benjamin nasceu tenho refletido muito sobre o consumo. Eu sempre fui consumista, confesso. Sempre adorei fazer compras. Houve um tempo em que eu comprava um par de sapatos por mês! Absurdo!!!

Antes eu me questionava “preciso disso?” e lá vinha meu INconsciente dar a resposta em bom tom “SIM, SIM, SIM!”.  Agora me questiono “preciso disso?” e a COnsciência não dá vez para o IN – que odeia a resposta que tem sido sempre a mesma: “NÃO”! E não quero ser um exemplo de consumo exagerado para meu filho, assim como não quero comprar sem necessidade, assim como precisamos de um mundo mais sustentável.

Neste Natal a maioria dos presentes foram preparados pela mamãe aqui com muito amor, carinho, paciência (porque você começa num dia e termina três semanas depois – obrigatoriamente porque já é a última semana que antecede as férias) e também uma pitada de pressa (porque não dá tempo pra se fazer tudo nessa vida, gente). Para as tias do berçário produzi essas caixinhas.  

IMG_0513

Cada uma delas tem um mini panetone dentro (e óóóóóbvio que esses eu comprei, faltei na aula de culinária bem no dia que deram a aula sobre comidinhas de final de ano).

Fala aí, não ficou cheio de bossa? Ganhar presente é bom demais e vai dizer que não tem um sabor diferente quando é algo personalizado, quando você sabe que a pessoa dispensou tempo para fazer algo especialmente para você…?!

Detalhe: você ainda leva fama de prendada (cof, cof, cof). ADOOOOORO…!

IMG_0515

Um presente especial de Natal para você

O que você daria de presente de Natal para uma pessoa que você não conhece pessoalmente, mas que se tornou de alguma forma parte da sua vida? Pessoas com quem você começou a compartilhar suas histórias, trocar experiências, dicas, e-mails…? Pessoas com quem você sabe, tem algo em comum: a pa(maternidade).

Teria que ser um presente que tocasse a alma, que falasse de amor, que tivesse encanto. Talvez algo que provocasse alguma transformação dentro de si. Que pudesse ser guardado ou até compartilhado com outras pessoas. Algo que falasse ao coração. O presenteado teria que se sentir especial. Um presente singelo, mas com valor imensurável – o que vale é valor sentimental atribuído a ele.

Talvez o presente se torna especial mesmo a partir do momento em que você demonstra que se importa com aquela pessoa…

Gostaria que vocês, leitores(as) do Bossa Mãe, soubessem o quanto são especiais pra mim. É impossível presentear a todos, mas escolhi meu livro preferido do ano para presentear, através de sorteio, um de vocês. Coração de Pai, do autor José Ruy Gandra, Livros de Safra.

Não é tão simples escolher um presente, principalmente quando se trata de livro, afinal o que é bom para mim pode não ser para outra pessoa. Tem gente que não gosta de ler. Mas acho que nesse caso, vale a tentativa de se entregar à leitura.

Para participar, basta deixar seu nome em um comentário nesse post. Simples assim.

O sorteio será realizado dia 20/12, quinta-feira. Boa sorte! 🙂

coração

Prepare-se! Esse livro é cheio de ENCANTO.

“Momento Mori (lembre-se de que vai morrer)

Carpe Diem (aproveite o momento)”

“A verdade é que a gente não faz filhos. Só faz o layout. Eles mesmos fazem a arte final”. Luis Fernando Veríssimo

(Epígrafe da 1ª edição, mas que você também vai encontrar nessa segunda edição)

*

Foto: Reprodução / Bossa Mãe

Solidariedade em formato de scrap

Inspirada pela minha amiga Amanda, estou participando do desafio de solidariedade da CraftBook. Primeiro vamos às apresentações: Amanda é minha amiga-mãe-de-dois-profissional-cozinheira-prendada-tudo-que-você-imaginar que ama scrap. Recentemente ela lançou o blog Scrap Paper.

Ontem ela divulgou em seu blog esse desafio da CraftBook: produzir cartões de Natal que serão enviados para a Grendacc – uma instituição que trata gratuitamente de crianças e adolescentes com câncer. Sabe aqueles cartões de Natal que compramos para ajudar instituições?! Então, esse deve ser o destino dos cartões enviados para esse desafio.

Assim que li o blog da Amanda fiquei encantada com a ideia. Muitas vezes queremos ajudar o outro, mas não sabemos como. Nem sempre precisa ser com dinheiro, as vezes doar um pouco do nosso tempo já vale muito mais que qualquer gesto.

Eu já havia falado para minha profº de scrap, a querida Rosa, que produz o blog Rosa Scrap, que na próxima aula de sábado eu queria aprender fazer alguns cartões de Natal, já que o fim de ano está chegando e eu vou querer presentear as pessoas com os cartões personalizados por moa. Essa indicação da Amanda chegou na hora certa, ontem mesmo a noite, comecei a colocar em prática as técnicas de scrap para os cartões de Natal. Ainda não tenho a habilidade que tem Amanda e a Prof. Rosa, mas produzi os cartões com muito empenho e o mesmo amor, carinho e dedicação que elas fazem seus trabalhos.

Gostou também da ideia? Quer participar? Veja como é simples:

– Envie 2 cartões (medidas livres) com envelopes, para o endereço:

GRENDACC
A/C Gislaine A. da Silva Dias
Rua Olívio Boa, 99 – Parque da Represa
CEP 13214-550 | Jundiaí – SP
OBS Importante: Mencione no verso do envelope o nome do CraftBook para que eles identifiquem a origem.

– Tema:  Natal/Ano Novo/Boas Festas/ Feliz 2013;
– Parte interna: em branco;
– Pra participar de um sorteio que vai rolar entre os participantes, poste as fotos dos cartões, juntamente com o código de rastreamento dos Correios, no site da CraftBook. O prêmio será 1 Sizzix Sidekick Machine e um kit surpresa;
– Prazo para envio: 20 de novembro (vale a data dos Correios);