20 meses e 20 traquinagens

Benjamin completou sábado um ano e oito meses. É incrível como eles crescem rápido e suas atividades ficam cada vez mais intensas. Num dia eles estão engatinhando e no outro estão se pendurando no parapeito da janela. Também é assustador. É como dizem: passa rápido…mesmo!

Ele fala poucas palavras compreensíveis:  não (sua palavra preferida), João (nome do nosso vizinho), bicicleta, achou, cade, papai, mamãe, vovó, vovô, Rosana (sua tia avó), Gabi (sua mãe), Lola (a tartaruga da escola), dodói, quer, suco, bichinho, peixinho, bolo, bola, gol, olé, pomba, pé, mão…e mais algumas que não me recordo agora.

E bastante palavras incompreensíveis que só a mãe entende: tu (Capitu), bdgfELA (Gabriela), mamin (Benjamin), São Paulo (que é compreensível, mas na cabeça da mãe entra na lista de coisas incompreensíveis),  entre outras.

Mas percebi que passou a aprender com mais facilidade se ensinamos. Nesse final de semana, por exemplo, estava fazendo almoço e ensinei a ele cada uma das comidas que estava preparando: arroz, batata, feijão, carne. Ele repetiu todas.

Já me vi preocupada achando que ele falava pouco, mas a pediatra já havia explicado que meninos demoram mais para falar, construir frases, ao contrário das meninas (vamos combinar que nós temos uma necessidade fora do comum de falar, né?!). O ideal é conversar sempre com os pequenos, eles entendem mais do que imaginamos e aprendem diariamente.

Por outro lado, a pediatra sempre me falou que os meninos desenvolvem mais a parte motora. Escalar e fazer traquinagens é com eles mesmo.

Aos 20 meses, peralta é o segundo nome de Benjamin. Listei as ’20 mais’ traquinagens que ele tem feito:

1) Pula arriscando tirar seus dois pés do chão (e tira uns 5 centímetros, quase um salto olímpico);

2) Pula no sofá ou na cama deixando sua mãe prestes a ter uma taquicardia;

3) Engana a Capitu dando-lhe um brinquedo e depois tirando da boca dela dando-lhe bronca;

4) Rabisca todos os lugares imagináveis;

5) Na ora da refeição quer comer sozinho e espalha a comida do prato para todos os lados com a mão ou com o garfo (e não, não é porque ele tenta comer, mas ele espalha propositalmente para ver a comida voar);

6) Dá comida escondido para Capitu (ela que só comia ração, hoje em dia come banana, arroz, feijão, brócolis, torrada, biscoito maisena, biscoito integral, pão, queijo…enfim, tudo que ele não deveria comer)

7) Escala para olhar a janela da sala pelo sofá;

8) Se livra do cinto de segurança da cadeirinha (o que fez outro dia a mãe parar e descer do carro no meio de uma avenida para prendê-lo novamente);

9) Sobe e desce a escada se o portão de segurança não estiver fechado (outro dia minha mãe ficou com ele em casa e foi estender roupa na parte de cima, esqueceu o portão aberto e quem aparece lá na área de serviço com o maior sorrisão descarado do mundo: Benzoca. Quando soube do episódio quase tive um infarto fulminante);

10) Monta na Capitu como se ela fosse um cavalinho;

11) Anda em sua motoca (triciclo) e tem se esforçado para pedalá-la sozinho;

12) Puxa nosso cílios quando fingimos ou quando estamos de fato dormindo (dói pra cara@!*);

13) Sobe o escorregador pela parte de escorregar;

14) Mergulha a cabeça debaixo da água;

15) Dança, faz passinhos e coreografias (e deixa essa mãe coruja babando de tanta alegria, tanto amor, tanta vontade de apertar);

16) Passa pomada em seu pinto, creme em sua barriga, penteia seu cabelo (e aqui vale outra observação: quando toma banho com a mãe ele quer esfregar a perna dela com sabão, Ownnnn);

17) Abre (e fecha) a janela do carro para dar “joinha” para os taxistas e motoqueiros no trânsito;

18) Ultimamente tem matado os bichinhos. Por mais que expliquemos que não pode matar, ele mata: formigas, mosquitinhos e afins. Se vacilar ele pisa e ainda dá risada (confesso: tenho medo desse seu comportamento);

19) Opera o iPhone com certa propriedade que só as crianças dessa geração possuem: coloca vídeos, apaga aplicativos (e compraria se já soubesse colocar senha), vê fotos, atende ligação (e faz involuntariamente ligação);

20) Desliga a TV na melhor cena da novela (mas isso ele já fazia na época da Carminha);

Além das traquinagens, Benzoca tem feito outras coisas que enche de orgulho esse coração de mãe. Por exemplo,  ajuda arrumar as coisas, guarda no local certo. Outro dia estava tirando roupa do varal e ele me ajudou a guardar a roupa. Ele limpa o chão se sujar. Guarda seus brinquedos (e até na agenda da escolinha vem que ele ajuda nisso).

Continua gostando de música. Tem gosto forte por música clássica, seu maestro preferido no momento é Karajan e adora esse vídeo:

Tim Tim. Não pode estar com copo na mão e ver outras pessoas também com copo. Ele quer brindar. Meu filho, no auge de seu um ano, já sabe o que é comemorar, já sabe que tem que brindar e celebrar a vida.

blog-fotos

Anúncios

Lista de participantes – Sorteio Xalingo Brinquedos

Esses sãos os participantes do sorteio da semana. O ganhador vai levar um kit de brinquedos Xalingo. Boa sorte!!!

1. Priscila Abreu

2. Thais Guedes

3. Karina Norberto

4. Fernanda Oliveira

5. Fabio Murilo

6. Liamara Lúcia de Almeida

7. Luiza Leal

8. Letícia

9. Adriana Almeida Carvalho

10. Eduardo Gonçalves

11. Juliana Favaron

12. Lizandra

13. Tamires Taufer

14. Rafaela Arabe Milanese

15. Andrea Malafatti

16. Daniela Maio

17. Maressa

O aviador

Recebi na sexta-feira passada, das Mamatracas e da Faber-Castell, o Kit Criativo Aviador.  Esse kit é voltado para crianças a partir de 8 anos. Meu Ben está com 9 meses, pensa numa pessoa ansiosa…eu não aguentaria esperar até lá. Então abri a caixa no sábado mesmo.

Confesso envergonhada, nem sabia ou não lembrava que a Faber-Castell tinha brinquedos em sua linha de produtos. Esse faz parte da linha de Kits Criativos Faber-Castell – brinquedos educativos que buscam desenvolver os 4 pilares básicos da educação promovidos pela UNESCO: aprender a conhecer = descobrir, compreender; fazer = colocar em prática seus conhecimentos; conviver = valorizar aquilo que é comum a todos; e ser = desenvolver o conhecimento de si mesmo e do outro.

A criança monta o avião..

…pinta e ainda pode colar adesivos.

No final vira um móbile!

Eu sei que me diverti muito com meu Ben enquanto a criança grande aqui montava o avião. Primeiro que proporcionei a ele seu primeiro contato com tinta, sujamos as mãos, o rosto, o chão, foi uma lambuzeira geral e detalhe: essa bagunça toda na sala.  Segundo que esse é seu primeiro avião, de cara todo personalizado. Terceiro que momentos como esse são ímpares em nossas vidas, não precisamos esperar chegar o momento certo, até porque o momento certo é hoje – o grande presente da vida. Então temos que aproveitar cada momento com nossos pequenos, principalmente porque eles crescem muito rápidos, o negócio é curti-los de todas as formas, proporcionar momentos prazerosos, saudáveis, inesquecíveis.

Adorei o presente! Muito obrigada as Mamatracas e a Faber-Castell. Essa linha é sem dúvida uma sugestão que acaba de entrar na minha lista para presentear os amiguinhos do meu Ben.

Atividades educativas já!

Eu e muitas mães por aí faço parte da era do papel, já meu Ben é da era tecnológica por completo. Desconfio até que quando ele começar a frequentar a escola não precisará de caderno, fichários, lápis, estojos e sim de um iPad (que vai ser mega atualizado). E hoje em dia quem consegue viver sem a sensacional internet?! Com ela temos acesso a (quase) tudo e de qualquer lugar – a mobilidade que a tecnologia nos oferece hoje em dia é incrível! E nossos filhos também, desde muito cedo! Se não controlar, as crianças passam horas a fio em frente ao vídeo game e computador. Mas como controlar, se muitas vezes os pais trabalham o dia inteiro? E como controlar o conteúdo que nossos filhos vão consumir? Como protegê-los? Eis aí um dilema…

Meu Ben ainda é muito pequeno, mas já me preocupo com essas questões. Acredito que deve haver um limite para o uso de eletrônicos como TV, vídeo game e computador. Acho que deveríamos limitar por idade e, obviamente, por conteúdo. É difícil, eu imagino. Mas não tem porque uma criança de 3, 4 ou 5 anos ficar presa em frente a um vídeo game, por exemplo. Criança tem que brincar! Brincadeiras que estimulem seu desenvolvimento intelectual, cutural, criativo, que o faça gastar energia, enfim. Cadê as brincadeiras tradicionais como esconde esconde, pega pega, mímica, ciranda (corre Cotia na casa da tia, lencinho na mão, caiu no chão…quem lembra?), jogo da velha, da memória, tabuleiros, cadê o Lego?!

Arrisco-me dizer que o limite e a apresentação dessas outras possibilidades às crianças vêm de casa, já bastam imposições tecnológicas que vem de fora e dos meios de comunicação. Se não podemos controlar o conteúdo que nosso filho consome na internet, podemos ao menos apresentar algumas alternativas que, aos nossos olhos, sejam interessantes. Aqui vão algumas sugestões:

No mundo virtual

Mundo Sítio
É o sítio do Pica Pau Amarelo em mundo virtual. Um site interativo que reúne conteúdo inteligente, como a Biblioteca do Visconde, que traz vários textos de Monteiro Lobato. Tem jogos pedagógicos que reforça as lições dadas em sala de aula. Tudo pode ser acompanhado pelos pais: o período que os filhos gastam em cada atividade, os livros que ele leu na biblioteca, os jogos preferidos. Inclusive, é possível determinar o tempo que seu filho pode gastar no Mundo do Sítio.
Idade: a partir de 5 anos

Pequeno Leitor
Aqui seu filho pode criar um personagem, além de muitas histórias. Ele monta uma coleção de histórias e até um baú de palavras. Traz histórias que seu filho tanto pode ler como só escutar. É tão interativo que o site propõe surpresas que são descobertas conforme a criança vai seguindo as dicas e clicando no decorrer da história. Conforme a participação da criança, ela acumula pontos que podem ser trocados por alguns brinquedinhos.Eu acho esse um projeto muito interessante e especial. Ótimo para estimular a criatividade da criança.
Detalhe importante: o projeto foi idealizado por uma mãe. Tem profissional melhor para realizar um trabalho desses?
Idade: a partir de 5 anos

Fora da telinha

A criança passa a fazer certas coisas por imitação. E para ter gosto pela leitura, os pais precisam gostar, apresentar e incentivar a leitura às crianças. Ler, além de estimular a criatividade, enriquece a alma. Onde encontrar dicas e sugestões de livros infantis:

Blog do Pequeno Leitor
Planeta Tangerina
Os 30 melhores livros infantis ano
Literatura Infanto Juvenil Monteiro Lobato

Diga não ao vídeo game

Algumas mães vão me odiar e até pensar: “o que ela sabe pra falar desse tema se seu filho tem apenas 7 meses, espera ele crescer pra ver só…”. Eu imagino o quanto deve ser difícil esse assunto de controlar as atividades dos nossos filhos. Não é minha intenção dar lição de moral. Eu já tenho essa preocupação e esse é o motivo do post, propor sugestões que limitem o acesso excessivo desses meios. Diga não ao vídeo game, pelo menos na primeira infância do seu filho, que se eu não me engano vai até os 5 anos. Proponha as atividades tradicionais. Algumas sugestões:

Amarelinha, pular corda, esconde esconde, queimada, pega pega, mímica, vivo ou morto, estátua, telefone sem fio, detetive, passa anel, jogo de velha, peteca, quebra cabeça, jogo da memória, bolinhas de sabão, enfim, tem uma infinidade de brincadeiras e jogos que as crianças podem praticar. Vale até brincar na terra.

Além de tudo isso, existem os esportes e várias alternativas e programas culturais como teatro, cinema, shows.

#Ficadica