Ganhei, ganhei, ganhei!

Lembram da blogagem coletiva do Mamatraca?! Então, o Bossa Mãe participou e ganhou 6 meses de NetFlix! É isso mesmo, vou ficar 6 meses assistindo a filmes e séries que eu quiser. Fiz as contas e vai dar pra curtir esse prêmio até o inverno. Ai que delícia! Adooooro…!

Obrigada às Mamatracas que me deram a notícia que só vi nessa quarta-feira de cinzas… Fiquei contente com a notícia inesperada.

Leia o Parto do Bossa Mãe, post da blogagem coletiva.

Redes sociais x revistas x informação

O Mamatraca essa semana está discutindo a maternidade na rede. Achei o máximo essa pauta, porque há alguns dias estava pensando em como fui envolvida com a blogosfera materna. Eu não tenho muitas referências maternas e por isso acho que me encantei tanto com a possibilidade de conhecer outras mães e trocar experiências. Acredito até que estou me tornando uma mãe melhor por isso, por ter acesso a esse leque de informações e possibilidades.

Gosto muito de ler e um ano antes de engravidar comecei a ler a revista Crescer. É uma excelente publicação. Outro dia, para conhecer, comprei a revista Claudia Bebê. E na semana passada adquiri a edição de fevereiro da revista Pais e filhos – adorei essa revista!

Cito as revistas porque após meu envolvimento com a rede materna, após ler livros sobre maternidade, além do meu dia a dia de mãe, comecei achar as publicações carentes de informação. Estou com a impressão de que as revistas são produzidas por pessoas que não são mães, ok até aí tudo bem, mas por profissionais que não vão a fundo às questões, não pesquisam, não vão a campo. Algumas matérias parecem incompletas e algumas dicas infundadas. Como a que vi outro dia, numa rede social: para matar a saudade enquanto seu filho está na escola, dê um celular a ele. Tá, mas e se seu filho tem três anos? Ou ainda: ligue para ele na escola. Imagina se toda mãe ligar na escola para falar um pouquinho com o filho…

Mês passado, eu comentei aqui sobre a matéria de capa da revista Crescer. Tenho que confessar, meu post foi feito no calor da empolgação. Fiquei eufórica ao pensar no que meu filho passaria a fazer esse ano. Mas depois que abri a revista e li o conteúdo da matéria, não achei nada demais. Não precisava ler aquelas informações pra saber que esse ano meu filho vai começar a andar. Ai ai ai esse tal de jornalismo….a chamada da capa, na maioria das vezes é bem mais atrativa do que o conteúdo. Por outro lado, a edição desse mês da Crescer, além de estar com a capa atrativa, tem um conteúdo de qualidade. Gostei muito da matéria sobre autoconfiança. E prometo, a partir de agora, analisar bem o conteúdo antes de divulgar aqui no blog.

Promessa feita. Então tenho que falar da revista Pais e Filhos. Gente, essa publicação é linda e tem conteúdo inteligente, informações relevantes, traz opiniões e colunas feitas por mães e pais. Já indiquei para minha amiga mãe Dani mãe-já-de-dois que acessou a publicação através do iPad e adorou o aplicativo! Acho que vale a pena conferir.

Então é isso, como respondi no Mamatraca Quer Saber dessa semana, busco nas redes sociais informações de qualidade, troca de experiências, referências maternas, compreensão, dicas, olhar de mães e pais. Comecei o Bossa Mãe com o intuito de expressar o indizível, esse amor arrebatador que nasce na gente quando nasce o filho, de registrar as minhas aventuras maternas e principalmente, o desenvolvimento do meu Ben. Agora estou amando a ideia de me conectar com outras mães, de informar e me informar. Comentei no post do Parto do Bossa Mãe que a maternidade acabou despertando em mim o meu desejo contido de exercer a minha profissão, estava me referindo a vontade de exercer o jornalismo como mãe profissionalmente, ou seja, escrever e estar envolvida com as questões maternas.

Admiro o trabalho das Mamatracas. Parabenizo-as pelo sucesso da blogagem coletiva de ontem. Estamos todas esperando outra oportunidade dessas. Aproveito para agradecer todas as visitas e mensagens no Bossa Mãe. Estou especialmente feliz por fazer parte da blogosfera materna! Sinto que esse é o meu mundo. Esse é o meu clube.