O primeiro curativo a gente esquece?

Na véspera de completar dois anos, meu Ben caiu em casa, bateu o rosto na quina do batente da porta do banheiro e causou uma dor imensa no coração da mãe que vos escreve.

Estávamos chegando em casa. Eu ainda estava na sala quando ouço um grito assustador da minha mãe. Corro para cozinha, vejo as perninhas dele no chão e falo “nossa, mãe, ele só caiu, que susto!”.

Com o grito que ela deu eu pensei que tivesse acontecido algo relacionando ao fogão, já que estávamos antes de sair fazendo os docinhos para a festa. Nem lembrei que estava tudo desligado, mas eu morro de medo de criança perto do fogão.

Ela foi socorrê-lo e quando virou o rosto dele pra mim, fiquei apavorada. Tinha sangue na testa dele. Na mesma hora falei que tínhamos que correr com ele para o pronto socorro, fiquei super assustada e marido – do jeito dele – tentou me acalmar.

Benjamin berrando pedindo meu colo, chamando por “mamãe”. Abracei meu filhote. Mal sabe ele o quanto a mãe dele é cagona. Não estava preparada para levar meu pequeno para levar pontos. Aliás, esse é um dos meus maiores pânicos.

Lavamos o machucado e como o sangue não ficava escorrendo, fui me acalmando. Mesmo assim, o levamos numa farmácia dessas antigas de bairro, com aqueles farmacêuticos mais velhos de jaleco, sabe? Foi também um desses que tirou meus pontos quando cai e cortei o queixo. O farmacêutico limpou o machucado do Benjamin – que berrava, fez um curativo e pronto. Alertou: não podíamos deixar o pequeno dormir nas próximas três horas.

Chegamos em casa, colocamos um DVD e ele ficou assistindo até que minutos depois estava pulando novamente como se nada tivesse acontecido. Enquanto o pequeno não parecia mais sentir dor, a mãe sentia. Uma dor cortante, uma vontade imensa de chorar.
Mãe é um ser visto pelos filhos como uma super heroína. Nós muitas vezes nos sentimos super mulheres. Para os filhos a mãe sabe, consegue e pode tudo. A mãe até fica convencida disso por alguns momentos até que algo acontece e te joga a realidade na cara: você não pode proteger seu filho de tudo!

Como assim? Mas eu quero! Mas não pode e nem deve. E isso dói no coração de uma mãe. Assim como dói perceber que eles vão crescendo e cada vez menos dependendo da gente.

Na última semana com um ano de idade, eu me dei conta que em poucos dias meu bebê deixaria de ser bebê para se tornar uma criança – que ele já tinha se tornado e eu não tinha me dado conta até aquele instante. Percebi que ele comia sozinho e direito, tirava sozinho sua blusa, calça ou tênis, ficava bravo se alguém tentava ajudá-lo. Pedia para fazer xixi na privada, embora ainda use fralda – o que em breve já não vai mais acontecer também.

Agora ele está realmente um moleque, cheio de vontades próprias. Sinto que adentramos em uma nova fase, talvez mais difícil para a mãe. Compreender, aceitar, desprender e me adaptar a essas mudanças ainda é um pouco difícil pra mim. talvez eu precise de terapia.

O fato é que desde que engravidei do Benjamin soube o que ele veio me ensinar: que eu não tenho controle de tudo. Mas isso já não é uma questão de aprendizado, pois acho que aprendi. Agora é uma questão de aceitação.

20130618-113218.jpg

Anúncios
Post anterior
Deixe um comentário

3 Comentários

  1. Eu sou rainha de quedas e batidas na cabeça.
    PP já bateu feio, mas o João… Pai eterno. Além do meu irmão que era um João bobo com o peso na cabeça…

    A orientação da médica do PS e do pediatra dos meninos é:
    Bateu, se aparecer vermelhidão e galo – ótimo sinal.
    Não apareceu nada e a queda foi feia, levar ao PS.
    Não segurar o sono da criança. Ela pode dormir se sentir vontade, se for o horário, etc. O que devemos fazer é velar o sono, acompanhar qualquer sinal diferente durante esse sono.
    Pois criança com sono, fica irritadiça e chora, o que atrapalharia identificar se o choro é do sono ou de dor.

    Desculpa, o texto, mas com tanta experiência no assunto, eu tô quase craque. Só espero não reviver essas experiências com o André. Pq o sofrimento da mãe, mesmo com todas orientações é sempre o mesmo… hahahha
    Bjão e melhoras pro Ben.

    Responder
  2. Acho que quando descobrimos que seremos mãe de menino já temos que nos preparar para os curativos, lembro o quanto a minha mãe penou com meus irmãos!!! Se bem que tem algumas meninas que são bem sapequinhas também! Como disse um médico uma vez, criança que se machuca é porque tá viva! Claro que tem limite e temos que cuidar ao máximo,mas um tombo ou outro sempre vai acontecer!!!

    Responder
  3. hsordili

     /  18 de junho de 2013

    Dói mesmo Gabis…
    Tato levou 6 pontos na testa no primeiro domingo do ano e foi o pior dia da minha vida!
    O choro de susto, o tanto de sangue, o caminho até o PS, a anestesia, os pontos… OMG!
    Quando voltamos parecia que eu tinha tomado uma surra…
    Ta aqui o post:
    http://www.eueleeascriancas.com.br/2013/01/cuidados-com-as-criancas-em-ferias.html

    Eles ficam bem rapidinho mas a gente… ai ai

    beijos
    Le

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: