Coisas que farei diferente com meu 2º filho

Ou coisas que eu faria diferente se pudesse voltar atrás.

Várias coisas eu faria diferente com meu segundo filho e que talvez possa ajudar algumas mamães de primeira viagem a fazer diferente com o primeiro filho.

AMAMENTAÇÃO
Amamentaria em livre demanda, a hora que ele quisesse, sem medo de ser feliz. Amamentei Benjamin todas as vezes que achava que ele queria, mas eu amamentaria em dobro. Primeiro porque faz bem a eles e a nós. Segundo porque não tem experiência mais especial e gostosa que essa e passa tããããão rápido…

CELULAR/LIVROS
Faria um esforço tremendo para não amamentar com o celular ou livro na mão. Eu sempre fui muito ansiosa e ficar quieta num lugar era impossível pra mim. Amamentar foi difícil nesse aspecto porque eu ficava sentada, parada e me dava a sensação de não estar fazendo nada. Resultado, logo me apeguei no celular e nos livros para apaziguar essa sensação na hora de amamentar. O que hoje vejo que era uma grande besteira, pois amamentar é isso mesmo, o ato de ficar sossegada, apreciar seu bebê fazendo aquele movimento de sucção. Eu não estava fazendo nada, eu estava me entregando. Amamentar é um momento de entrega total para o bebê.

VISITAS

Se chegasse visita na hora em que o bebê estivesse dormindo, pediria licença e ia dormir também! Isso eu não fiz e ficava irritada depois por estar cansada e não ter aproveitado o descanso do Ben para descansar também. Principalmente, se era visita, só que não (sabem como é?!).

CHUPETA
Não empurraria a chupeta para o bebê. Eu empurrei para meu Ben e ele não aceitava até que um belo dia aceitou.  Benzoca deu Tchau, Chupeta! aos cinco meses. Embora tenha sido fácil para ele, a mãe aqui sofreu e ainda sofre um pouquinho até hoje se questionando se isso fará alguma falta psíquica pra ele futuramente. Neura de mãe. #alouca

REGISTRO
Fotografaria bastante a barriga e escreveria todas as mudanças, os acontecimentos, os primeiros movimentos, as datas, enfim, faria um diário completo do período da gestação.

COLO DE MÃE 
Pegaria mais vezes no colo sem medo de mimá-lo, sem medo de acostumá-lo mal – bebês recém nascidos precisam do colo da mãe mais que tudo. Imagine que eles passaram meses no escurinho, quentinho e super protegidos. De repente saem para esse mundão de meu deus: essa temperatura louca que muda a cada dia (ou hora), essa luz toda, o barulho… Como ficariam mal acostumados só com um colinho de mãe?! O colo da mãe é quase que uma necessidade. Eles crescem e um dia deixam de caber por inteiro no colinho da mamãe ou pior, um dia eles recusam! Colo de mãe não é capricho, é amor!

Anúncios
Deixe um comentário

1 comentário

  1. Carina

     /  8 de junho de 2013

    Gabi, depois que li o livro a Maternidade e o Encontro com a própria sombra, cheguei também a mesma conclusão sobre o colo de mãe. Vou segurar o meu filhinho o quanto eu quiser, ou ele também né, rsrsrs. Hoje as pessoas ficam dando palpite e falam que a criança fica manhosa. Mas o que eu mais quero é ficar o tempo todo, com ele bem junto a mim. Não acho que as crianças ficam mal acostumadas por receber amor e colo ilimitado. Bjos!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: