Meu filho tem manias

Benjamin não tem paninho. Ele não é apegado a nenhum ursinho e nenhum tipo de pano, seja fralda ou manta. De início, quando era bebezinho, algumas pessoas quando o colocavam para dormir, já aconchegava uma fralda no rosto dele, eu ia lá e tirava. Tem gente que acha bonitinho, coisinha de nenê, mas na boa, eu não acho não (nada contra os filhos e pais que curtem). Abre outro parênteses: outro dia vi uma criança saindo de um lugar com um paninho – modéstia falar assim no diminutivo, o negócio me lembrou a imensa trança da princesa Rapunzel, a criança ia saindo de onde estava e o pano ia sendo arrastado pelo chão da rua (olha que higiênico) e não chegava nunca ao final dele. Fecha parênteses. Nunca gostei desse hábito por dois motivos: 1. como Benjamin sempre se mexeu bastante, eu morria de medo dele se enroscar no pano e sei lá o que poderia acontecer (a gente sempre pensa o pior). 2. Esse é o fator principal de abominar o paninho. Num passado distante, numa aldeia longe, o bebê de uma conhecida usava esse tipo de recurso e aquele pano fedia tanto! Tinha um cheiro de azedo! Um horror! Um nojo pra falar bem a verdade (o mínimo que se deve fazer é trocar o tal pano diariamente). Aí sabe aquelas heresias que você quando não é mãe jura que não vai fazer quando se tornar uma? Então…só que nesse caso, essa maldição não voltou contra mim. Foi fácil não habituar Benzoca com essa mania.

Por outro lado, sempre quis que meu Ben elegesse um de seus brinquedos como favorito. Acho interessante a criança levar um “amiguinho” para todo canto. Talvez seja cedo para ele adotar esse princípio porque até agora ele só quer saber dos seus instrumentos e mesmo assim larga de boa na sala quando estamos saindo. Sobretudo, algumas semanas atrás, ele começou a se apegar cada dia por um objeto diferente. Um dia foi a Galinha Pintadinha, no outro foi a sua mini vassoura, noutro foi a guitarra, noutro um carrinho, teve até um dia que ele não largou uma peça desses jogos de montar. Eu estava até achando bonitinho. Mas sei lá, acho que isso durou umas três semanas e tudo se normalizou.  Principalmente, porque depois foi ficando difícil fazê-lo deixar no carro, ele queria levar para a escolinha e isso não é permitido por motivos óbvios: a criançada fica toda alvoroçada, todas querem o brinquedo e porque também pode perder.

Bom, o fato é que agora uma praga se abateu na cabeça da mãe aqui. A gente se orgulha tanto pelo filho não ter se apegado a tal fralda, mas… o menino não tira a mão da boca. Não, não é o dedo. São os 5 dedos, a mão inteira. E fica aquela baba escorrendo pelo queixo, pescoço, até que para na camiseta. Quando muito para na roupa da mãe deixando aquele circulo lindo de baba (e não adianta secar, fica uma marca do mesmo jeito, daquelas quando a gente dorme pesado na condução, a baba escorre, você acorda percebendo a situação, tenta puxar, tarde demais). Achamos que era dente, mesmo tendo uma leve certeza que Benjamin já tinha a arca dentária completa. Perguntamos à pediatra, ela confirma: ele já tem todos os dentes. Isso é mania!

E eu querendo livrar meu filho de todo mal, mas nem das manias consigo. Blasfêmia! Quem é a mãe desse menino?

*

Esse paninho ou “amiguinho” é chamado de objeto de transição. Os psicólogos dizem que a criança se apega principalmente na falta da mãe, quando sua ausência lhe traz angústia. Vai ver que meu Ben não fica angustiado com a minha ausência (não valendo nada).

Anúncios
Deixe um comentário

3 Comentários

  1. Engraçado o Joaquim também não tem paninho, e olhe que vááárias pessoas já me perguntaram o motivo, sem contar que a minha mãe até tentou, deu um naninha vermelho com um elefantinho na ponta que ele até curte, mas não é apegado. Eu nunca fui fã desse tipo de paninho, acho que é por ter visto minha amiga de infância no auge da adolescência com um cobertor podre de sujo. A minha mãe, a maior defensora do tal paninho disse que eu eu meus irmãos tínhamos uma fraldinha amarrada na chupeta, mas que ela sempre trocava para a gente acostumar com a coisa, mas com a coisa limpa. Eu e meu irmão mais novo largamos esse vicio sem traumas, agora meu irmão do meio demorou hein, e para ajudar ele adorava o paninho, mas tinha que ser úmido, minha mãe conta que penou para manter um pano úmido e limpo para ele, mas deu certo, hoje ele não usa mais. O que eu penso disso? Por um tempo até coloquei fralda amarrada na chupeta, mais por insistência da minha mãe do que por vontade própria, mas desisti, sujava muitas fraldas, e eu queria sempre fralda limpa né, dai que resolvi tirar da chupeta, e ele continua bem. Atualmente até a chupeta eu ando evitando, só apelo para ela quando o bicho pega mesmo na hora de dormir, o que acontece quando ele dorme sem mamar, mas sempre tiro dele depois que ele pega no sono. Talvez a chupeta ocupe esse lugar do paninho. Quanto as manias, tenho medo, alias demos a chupeta para o Joaquim porque ele quase comia a mão dele, e sei lá, antes a chupeta do que o dedo

    Responder
    • Mari, o Ben tem um paninho desse aí amarelo, acho até uma graça e deixo no berço, mas ele nem liga. O mais engraçado é que toda vez que coloco ele no berço, ele tira esse paninho e um “amiguinho” que tem lá.
      Dei chupeta para o Ben tb pelo mesmo motivo. Ele ficava muito com a mão na boca e fiquei com medo de pegar o dedo, é beeeeeem pior tirar mesmo. E a pediatra confirmou isso. Eu tirei a chupeta quando ele completou um ano e quase 3 meses, se não estou enganada. Foi um processo, já contei como foi aqui no blog. Como a chupeta caáa, comecei a tirar do berço e ele não acordava, no terceiro dia não dei mais. Só que viajamos pra fora bem na época e achei melhor levar o acessório, lá ele usava para dormir. Quando voltamos comecei tudo de novo. Mas foi sem traumas. O que ajudou foi isso, não dar chupeta durante o dia, acho que isso facilitou.
      beijo

      Responder
  2. Natalia

     /  15 de abril de 2013

    A Chloé tem paninho, na verdade ela tem vários porque eu troco todo dia ou seja, sempre está com um limpo. O hábito dela nao é o cheiro, é simplesmente pq ela gosta de segurar algo. Reparei isso qdo o paninho caiu no shopping e eu guardei na bolsa, aí ela ficava levantando o vestido e levando até o rosto. Na hora pensei, ai Deus só que me faltava uma filha assanhada (tadinha) aí depois me liguei que ela estava é sentindo falta do paninho.

    bj pra vcs

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: