Uma fuga noturna

Sábado passado foi despedida de solteira de uma prima minha. Fiquei sabendo de última hora, no dia anterior, por uma outra prima. Uma pessoa que tem marido e filho precisa ser avisada pelo menos com uma semana de antecedência para programar a estratégia de uma fuga dessas. Principalmente, quando é a primeira desse tipo.

Passamos (eu a prima que avisou) o dia inteiro do sábado tentando uma jogar para a outra a responsabilidade da desistência. Sabe como é? Ficamos trocando mensagens: “e aí, você está animada?”, “e aí você vai ‘miar’”?, “to numa festinha de aniversário com o Benjamin, to cansaaaada”, “ai que preguiça”, “você só vai se eu for?”, “tenho outra festa pra ir”… Bem, na verdade, parecia um ringue, nenhuma querendo dar o braço a torcer, as duas esperando pra ver quem jogaria a toalha primeiro.

Nenhuma desistiu. “Vamos. Não se fala mais nisso. Que horas passo pra te pegar?”.

Minha prima, tão bondosa, se ofereceu para ser a motorista da vez. Acho que ela teve dó de mim. Eu nunca bebo nos eventos. Deixo a vez pro marido. Alguém tem que manter a sanidade pra cuidar da cria.

Minha irmã, caçula (10 anos exatos de diferença), já avisada que eu sairia sozinha, aconselhou: “coloca uma roupa devassa”. Oi?

Arrumei-me normalmente. Como se eu fosse para um barzinho. O destino era o Grazie a Dio, lugar que já frequentei há muitos anos (né, Bru?!) conhecido por tocar jazz. Esqueci, o tempo passa e tudo muda. O lugar virou uma baladinha mesmo, pessoas de todos os tipos, perfis e idades (mais novos, do que mais velhos diga-se de passagem). Eu com o meu max colar, estava me sentindo uma balzaquiana genérica no ambiente (genérica sim, porque as mulheres com (bem) mais de 30 se vestem como menininhas. Não consigo, nem tenho coragem, para esse feito).

Minha prima chegou na minha casa às 23:30. Marido e Benzoca estavam, literalmente, dormindo. Um no berço. O outro no sofá (bêbado da festinha infantil, diurna). Eu estava pronta para me jogar na noite, sem culpa.

Chegamos na balada e nem 15 minutos lá dentro, cara leitora, você não vai acreditar, eu caí! Levei o maior tombo numa rampa da balada. A rampa estava molhada, obviamente eu não vi, e fui com tudooooooo…! O maior mico, a maior vergonha da minha vida. Escorreguei que nem aquelas cenas de TV, pernas voam pra cima, bunda gruda no chão. O melhor remédio? Rir!

Nesse episódio perdi minha bebida que caiu toda na minha blusa novíssima (que maridão lavou e deixou a peça novinha novamente). Voltei ao bar e pedi outra com a garantia que fosse por conta da casa, afinal a culpa foi da rampa molhada! O garçom, de uns 21 anos, tão solícito, respondeu: “Claro, senhora, vou te dar outra!”. Oi? SENHORA?! Olha para um lado, para o outro. Cade?! “Aqui, sua bebida, Senhora”!.

Não bastasse eu ter caído na balada, eu fui chamada de senhora! Mas tudo bem, na verdade, eu era uma mãe tipo em regime semi aberto, com licença para uma noite de diversão. Era um direito meu me divertir e não ficar brava/chateada com esses pequenos detalhes.

Bebi. Dancei. Conversei com as primas. Rimos.

Cheguei em casa às 05:20, horário controlado pelo marido. Segundo ele, deitei na cama e morri. Disse que ficou batendo o travesseiro na minha cabeça e eu não dava nenhum sinal de vida.

Acordei (ainda) bêbada. Com dor no corpo (resultado da queda). Com a lembrança de que tinha me divertido muito. Sem esquecer que no próximo sábado tem mais festa. E que dessa vez vou me divertir com todos, incluindo meus amores. Porque a vida é muito mais divertida com eles…

PS: só que eu não vou beber no casamento. O dia seguinte é muito ruim. E esse ano não é a primeira vez que tenho essa sensação.

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

2 Comentários

  1. É engraçado o quanto nos sentimos estranhas quando voltamos a certo lugares depois de virar mãe né?! Eu também não bebo, sou a motorista da rodada desde a época que estava na universidade. Sobre ressaca de mãe, li uma frase e acho que é a mais verdadeira sobre essa situação ” os filhos não dão trégua”!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: