Cinema já!

Estão abertas as inscrições para o “Benjamin Experience”. O fato é que faz uns 6 meses que não vou ao cinema (é isso mesmo: 6 meses = 180 dias, se contarmos 30 dias por mês). A última vez foi logo quando voltei de licença maternidade e estava naquele esquema de poder sair mais cedo do trabalho por conta da amamentação. Fugi pro cinema em plena tarde, sozinha com aquela sensação que nos rodeia quando estamos fazendo algo escondido. Ai fuga deliciosa! Assisti aquele filme do Selton Mello, O Palhaço. Tão singelo…

A lista de filmes está enorme, igual ao Benjamin, não para (não para, não para não) de crescer. E é horrível a sensação de estar num grupo de pessoas comentando que viu tal filme e você fica ali quietinha, se comprimindo num ato desesperado de se tornar invisível, torcendo pra ninguém fazer a fatídica pergunta “Você viu o filme…?”. Cof, cof… Pior ainda quando o seu primo caçula te manda um msn: assistiu “e aí comeu?”?

Pensando em como ir ao cinema, lembrei do tanto que escuto “ah, como o Ben é bonzinho”, “ah, deixa ele um dia comigo” e estou criando a campanha “Benjamin Experience” que consiste em um amigo passar apenas 3 horas (e pouquinho) com o pequeno, além do desapego da mãe pela cria. Podem participar todos familiares e amigos com mais de 3 anos de amizade, convivência periódica com nossa família e que já mencionaram as frases citadas acima.

Requisitos básicos: ter noções básicas de perigos/riscos com crianças (exemplo: não deixá-lo sozinho – principalmente com animais, alimentá-lo, não deixá-lo chegar perto do fogão, escadas, armários e afins), e de como trocar fralda. Não pode falar com ele de maneira errada e muito menos dar nomes bobocas para as coisas (exemplo: chupeta e não “pepeta”, mamadeira e não “tetê”, cocô e não “caca”, cachorro ou dog e não “au au” – isso é o som emitido pelos cães). É imprescindível que não o coloque para dormir cheirando/agarrado a uma fralda (arh!).

Vai ter gente que vai indicar o CineMaterna, “boba, lá você pode assistir a sessão com o bebê, tem trocador, som baixo, ar condicionado leve, blá, blá, blá…” Na boa, não caio nesse papo. Acho que sou a única mãe nesse mundo que não vê vantagem nesse CineMaterna (ou que pelo menos assume isso). Antes de ser mãe achava o projeto bárbaro! E morria de vontade de ir. Meu filho nasceu, ganhei ingressos e nunca consegui ir. É um projeto feito para mães em tempo integral (leia-se, que não trabalham fora. Sem ofensas, ok?! Até porque esse é o meu sonho). Os filmes geralmente são escolhidos através de uma enquete e desculpa, aí entra naquelas de que nunca dá para agradar todo mundo.

Certo dia, um pouco revoltada em não poder usufruir da brilhante iniciativa, mandei um e-mail e recebi a seguinte resposta: “O foco do CineMaterna são as mães que ainda estão com dificuldade de fazer qualquer programa sem o bebê, que não tem com quem deixar ou por amamentar exclusivamente. As mães que voltaram a trabalhar normalmente já estão com algum esquema para deixar o bebê e podem ir a uma sessão regular. Mesmo assim, sabemos que há pessoas que não conseguem ter um momento de lazer fora do horário de trabalho e disponibilizamos uma sessão mensal aos sábados, 11h, horário de menos movimento nos cinemas”.

Achei muita pretensão a conclusão sobre as mães que voltaram ao trabalho. Fiquei mais revoltada ainda ao receber essa resposta. Meu esquema é deixar no berçário, que funciona de segunda à sexta, das 07:00 às 19:00. E mesmo que abrisse, não deixaria meu filho aos sábados também. E esse horário, gente?! Mensalmente, tem uma sessão aos sábados, às 11h00!!! Pensa bem, pra chegar numa sessão às 11:00 com um bebê, você tem que começar a se organizar pelo menos às 8:00, e você dá o almoço que horas? Após o filme ou no escurinho do cinema? Aff, não posso com isso. Desculpa aí quem gosta! Mas eu ainda não vi vantagem e não consegui usufruir dessa possibilidade.

Então, mas voltando ao tema do post de hoje, criei a campanha de incentivo à cultura (minha ida ao cinema) que, por tabela, permite que pessoas queridas passem mais tempo com o Benjamin. É “de grátis”!

As reservas estão abertas 1, 2, 3 VALENDOOOOOO…!

Anúncios
Deixe um comentário

3 Comentários

  1. adorei o Benjamin Experience.
    vou adotar a ideia aqui também, mas aqui os pré requisitos serão bem menores.
    tá valendo muita tranqueira, como deixar ele ver TV, dar comida fora do horário, deixar sozinho com o cachorro e falar abobrinha em qualquer língua ou deslíngua, contanto que não seja palavrão.
    só não pode deixar comer porcaria. de resto, tá valendo.

    quanto ao cinematerna, eu aproveitei bastante, mas qdo ele era muuuito miudinho e dormia bastante.
    depois que cresceu, mesmo eu ficando com ele o tempo todo e conseguindo – às vezes – ir naqueles horários malucos, eu até cheguei a ir, mas quem disse que ele parava quieto?
    o último filme que fui assistir, inclusive, foi o palhaço (que tem o personagem xará dos nossos pequenos). mas passei o filme inteirinho subindo e descendo escadas atrás de menino. prefiro ver filme no sossego do lar enquanto ele dorme.

    boa sorte na seleção dos candidatos!

    beijos

    Responder
  2. Natalia

     /  12 de julho de 2012

    Se eu morasse em SP juro que me candidataria 😉

    Responder
  3. hahahahah, descobri que não posso me candidatar, pois apesar de ser a famosa amiga-mãe-de-dois, eu uso os termos errados (tetê=mamadeira, pepeta=chupeta, papa=comida, caca=sujeira e etc), e como se não bastasse os dois usam fralda de pano pra cheirar…rs (eu troco todo dias as fraldas tá, mas usam) xiiiii…rs

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: