“felicidade se acha em horinhas de descuido”

Ontem os diálogos entre eu e o marido estavam mais ou menos assim:

Eu: Ai, olha como esse menino (Benjamin) é feliz!
Marido: É porque estar próximo dos pais o deixa feliz, a pesquisa diz isso.
Eu: Ele não quer mais ficar no berço, quer ficar com a gente!
Marido: É porque agora ele quer curtir mais os momentos com os pais, a pesquisa diz isso.
Eu: Você viu o que ele aprendeu comigo? Fazer carinho. Faz na mamãe, mostra pro papai. (Benjamin faz carinho) Comigo ele só aprende as coisas amorosas, então vou deixar pra você ensiná-lo assoprar a velinha.
Marido: É claro. Os filhos gostam 87% mais da mãe e 78% do pai. Está comprovado. A pesquisa diz isso. Então não precisa mais ficar com ciúmes quando ele estiver comigo.

HÁ!

Eu não tenho ciúmes do marido com meu Ben. Aliás, não tenho ciúmes nem de desconhecidos. Outro dia fui deixá-lo no berçário e agora que ele me dá abraço direto, pedi um de despedidas. Quando ele estava me dando avistou a tia e abriu os braços pra ela. Enfim, não tenho ciúmes. No início até tinha, mas agora desencanei porque amadureceu a ideia de que sou a MÃE, eu sou a imprescindível! hihihi

Voltando….hoje li a tal da pesquisa. A revista Época dessa semana traz a matéria: “Por que ela está tão feliz?”, trata-se de uma pesquisa que revela o que deixa as crianças brasileiras mais alegres ou tristes. Resumidamente, os fatores que as alegram são:

Família – estar com os pais, tios e principalmente avós. Acho ótimo o marido ter lido essa pesquisa, quem sabe assim ele entende de uma vez por todas porque eu falo tanto sobre a família dele ser mais participativa – no sentido de convivência – na vida do Benjamin. Eu acho de suma importância (e a pesquisa comprova) a convivência de avós e netos.

Futuro e auto estima – “a capacidade de se gostar e de se valorizar”. Os pais devem ajudar a desenvolver esse lado dos filhos. Como?! Transmitindo segurança e valorizando as conquistas dos filhos. Um exemplo digno que a matéria traz: ensinar a criança andar de bicicleta sem rodinhas e, principalmente, reconhecer os esforços quando ele conseguir tal feito. Segundo Ana Olmos, psicanalista infantil, os pais precisam permitir que o filho enfrente desafios. Ou seja, nem sempre nossos filhos vão conseguir tudo e consequentemente se frustrarão, o nosso papel como pais é ensiná-los a lidar com as situações e não protegê-los e/ou evitar algumas situações. No post “eu era uma ótima mãe até ter filhos” tem um exemplo disso. A matéria ainda traz outro exemplo bem simples: um jogo de damas. Ensiná-los os melhores movimentos do jogo é importante, mas deixar eles ganharem propositalmente não. Senão, quando eles forem confrontados fora de casa, não saberão lidar com isso.

Brincadeiras – A pesquisa afirma: tecnologia não está em primeiro lugar na lista. O videogame, por exemplo, está em 4º lugar. As crianças gostam mais de brincar com boneca (o) e de carrinho. E na minha opinião, aqui os pais também tem papel fundamental, o de apresentar as centenas de alternativas que existem fora os eletrônicos. Propor atividades que possam fazer juntos, como jogar bola, brincar de mímica, andar de bicicleta, esportes, leitura, passeios, teatro, cinema, enfim…existe um leque de ocupações a propor.

Escola – As crianças amam as férias, mas gostam de ir à escola porque tem a oportunidade de interagir com outras crianças. É onde a vida social começa a se moldar…

Quer dizer, mais uma pesquisa confirma que felicidade está nas pequenezas da vida. Se existia alguma dúvida porque o meu Bem é tão feliz, eu não tenho mais. Acho que estamos no caminho certo.

(o título do post é frase do digno escritor Guimarães Rosa)

20120524-150621.jpg

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: