“Deixa de manha de noite e de dia…”

Quando são recém nascidos, não acredito que bebês façam manha. Acho algo impossível. Se o bebê chora alguma coisa o incomoda ou sim, ele quer colo. E acho justo dar. A pessoinha fica meses no ventre da mãe, todo quentinho, aí sai pra esse mundão louco e queremos que ele se acostume assim em dias.

Benjamin me surpreendeu porque quando me mostraram pensei: meudeus que cara de bravo. As enfermeiras entravam no quarto dizendo que ele era bravo demais. Fiquei morrendo de medo de levá-lo pra casa. O menino tadinho, super bonzinho, só tinha a cara de bravo (tipo a mãe).

Calmo, só deu trabalho para dormir no primeiro mês. Só queria saber de dormir no colo. Depois de um tempão me dei conta que era inverno, que ele não deu sinal de querer sair da barriga, conclusão: gosta do quentinho. Não era manha. Era frio. Ele precisava sentir o calor do meu corpo.

Mas cá entre nós, o menininho está crescendo e agora começou a fazer manha. Há quem acredite que manha só após um ano. Nãnanina não! Eles aprendem rápido o artifício. Se Benjamin está no colo e vamos colocá-lo no chão, ele imediatamente se joga pra trás e começa um chororô falso; se quer algum objeto e não damos, faz a mesma coisa; aí se voltamos atrás, ou seja, se o pegamos no colo ou damos o objeto o pilantrinha dá um sorrisinho do tipo “ahá, consegui”!

É sério isso! Peguei esse sorrisinho dele há alguns dias e outro dia comecei a colocar em prática minha tática. Jogou-se pra trás e começou o chororô, eu largo ele lá e saio (o pai – e nem ninguém – não tem permissão para pegá-lo). O papel todo que ele desempenha não completa um minuto e ele para. Simplesmente se distrai com outra coisa e para.

Dói em mim? Siiiiiiim! Mas se tem uma coisa que eu abomino é criança que faz escândalo em público. Sabe, aquelas que se jogam no chão, se debatem e se descabelam?! Tenho horror, vergonha alheia. Então parto do seguinte princípio, ao deixar meu Ben chorar (seu choro falso) um pouquinho, não estou maltratando e ele não vai morrer (até porque chorar é ótimo para os pulmões) porque o deixei um pouco no berço enquanto fui ao banheiro ou porque neguei um objeto. Outra coisa, tenho certeza no berçário as coisas não são como ele quer.

É difícil? Demais!!! Mas não posso simplesmente fazer tudo o que ele quer e ficar rendida a um bebê. Até para comer eu percebi, ele começou a travar a boca e fazer não com a cabeça, insistíamos um pouquinho e ele balançando a cabeça com o não. Estávamos parando de dar toda vez que, aparentemente, ele não queria mais porque “a coitado, ele não quer deve estar cheio”. Acontece que a gente sabe, não sei como, mas sabemos quando devemos ou não parar. Ben algumas vezes ainda faz não com a cabeça, mas acaba comendo tudo.

Estou começando achar que controlar essas manhas é uma questão de paciência por parte dos pais. Chega até ser uma arte. Sinto que agora estou entrando para a parte de ser mãe de verdade, porque trocar fraldas, dar banho, amamentar, mimar, agradar é tudo muito fácil, agora educar é outro papo bem diferente….

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: