Bossa mãe no MMQD

Quando a Flávia, do Minha Mãe que Disse, me convidou para escrever um texto para o site, fiquei entusiasmada. Já tinha vários assuntos na cabeça por conta do Bossa Mãe. Mas na hora de escrever…..deu pane. 

O MMQD é um site feito por mães, para mães. Reúne vários blogs maternos e tem o espaço para mães ou pais escreverem sobre temas diversos dentro do universo materno. Quer dizer, abordam todos os assuntos que eu já havia pensado, fiquei em parafuso. Não queria ser chata e repetitiva.

Optei por escrever sobre amamentação, um assunto que nunca é demais. E pra escrever esse texto?! Sério, foi um parto! Escrevi, apaguei, mudei e no final cortei um monte de parte do texto – que ficou mega curto e tímido. Nada a ver comigo. Não satisfeita, mandei para a Flávia. E tudo que tirei ficou num outro arquivo, o texto original.

Ontem ela me escreveu confirmando a veiculação do texto. Ok. Não estava contente com o texto. Fiquei o dia todo com isso na cabeça. Peguei o texto original, ajustei e resolvi mandar para Flávia. Ela deve ter me achado uma louca! Ela respondeu que publicaria o texto menos tímido. Oba! Era o meu preferido e que eu estava com vergonha de divulgar. Às vezes eu tenho vergonha. Às vezes fico insegura. Que boboca!

Hoje o texto foi publicado e pode ser conferido AQUI.

Abaixo, o texto tímido.

*

Amamentar é mais prazeroso do que dolorido

Ao contrário do que lia a respeito, durante a gestação ouvi muitos depoimentos negativos sobre amamentação. Que amamentar doía, o bico do seio ficaria todo machucado, que era um ato demorado, que o leite empedraria se não tirasse no tempo certo, etc. Confesso, senti (mais) um pouco de medo. Eu queria parto normal e só ouvia dizer “é a pior dor do mundo”, eu desejava amamentar e só ouvia “amamentar dói”… Afinal, tudo doía?!

Não vou esquecer quando acordei, ainda na maternidade, no terceiro dia após o nascimento do meu filho. Meios seios duros e doloridos pareciam prontos para explodir a qualquer momento. Chamei a enfermeira que toda empolgada anunciou: “seu leite está descendo, benza Deus”. Parecia um milagre. E de certa forma era.

Não posso negar que no início doeu um pouco amamentar. Mas não é uma DOOOOOR, é uma dor (suportável). O bebê tem um reflexo de sucção muito forte. Exige tempo e paciência por parte da mãe.

É preciso estar disponível emocionalmente e sentir muita vontade de amamentar – que não significa apenas dar alimento ao filho, mas uma forma de comunicação, intimidade, doação e estabelecimento de vínculo entre mãe e filho. Momento em que a mãe se entrega completamente ao bebê, lhe transmitindo amor, confiança, calor, abrigo, carinho. Momento em que o bebê se alimenta do leite, mas também do contato corporal, do cheiro, voz e batidas do coração da sua mãe (tudo que ele (re) conhece desde o útero).

Amamentar é uma das experiências mais sublime que a vida materna pode nos oferecer, é precioso e prazeroso demais. Amamentar é um ato de amor!

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

1 comentário

  1. Fernanda

     /  24 de janeiro de 2012

    Amei o texto grande….só consegui amamentar a Mari até os três meses de vida….meu leite secou…eu não consegui “desacelerar”….morro de culpa por isso….bjs

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: